História

Don Ayres de Saldanha de Menezes e Sousa, amigo pessoal de D. Pedro de Bragança (que viria a ser D. Pedro II), adquiriu as Terras de Tascôa e Pêro Longa em 1690, onde coabitavam javalis e corças.

Por as Terras de Tascôa serem ricas de água, mandou iniciar a construção de um solar. À data da sua morte apenas estavam erguidas as grossas paredes que ainda podem ser vistas no rés-do-chão. A parte do segundo piso deve ter sido mandada construir por quem adquiriu a Quinta da Tascôa. Este é o Pavilhão Administrativo da Escola E.B.2,3 de D. Pedro IV.

Inicialmente, o referindo edifício foi uma secção do Liceu Passos Manuel. Pela Portaria nº 562/72 do Diário do Governo de 28 de Setembro, foi criada a Escola Preparatória do Conde de Sabugosa, nesse mesmo local, com 23 professores efectivos. Pelo Decreto-Lei nº 219/79, de 17 de Julho, passou a designar-se por Escola Preparatória de Massamá e pela Portaria nº 495/95, de 24 de Maio, Escola E.B.2,3 de Massamá.

Em 1975 foi construído o Pavilhão B. Em 1984 construíram-se os pavilhões C e D. No ano lectivo de 1986/87 procedeu-se à remodelação do Pavilhão Administrativo, dos espaços circundantes e à constução dos balneários anexos ao Ginásio. Em 1997/98 está em construção um novo pavilhão, com sala de convívio, refeitório, bufete, laboratórios e salas de aula.

A Escola tem Hino com letra da professora Maria Lucena Bernardes Pereira e música do Professor João da Cruz Carvalho. Também possui Bandeira pintada pela professora Maria José Freitas Garcia e cuja emblemática é da autoria da aluna Sara Vilas-Boas.